Tipos de manutenção industrial

El manutenção industrial É uma prática necessária garantir que todos os equipamentos com os quais você trabalha estejam em boas condições, garantindo produtividade e boa qualidade de produção em todos os momentos. Somente com uma boa política de manutenção é que as falhas e possíveis avarias podem ser minimizadas.

O que é manutenção industrial

A manutenção industrial é um procedimento que reúne uma série de padrões e técnicas para preservar as máquinas e instalações de qualquer tipo de indústria ou oficina. Para conseguir uma conservação das máquinas e ferramentas utilizadas e reduzir as grandes avarias, é necessário ter uma boa política.

Ao longo da história, essa política está mudando. No início, as práticas de manutenção não eram realizadas, limitando-se simplesmente a reparar o que estava parado ou deteriorado. Posteriormente, a manutenção passou a ser uma tarefa confiada aos operadores das máquinas, que eram os que as conheciam melhor porque interagiam com elas no dia a dia. Dessa forma, possíveis problemas eram evitados antes de acontecerem.

Atualmente muito progresso tem sido feito nesse sentido, e existem controles e regras muito específicas que vão além, buscando aumentar e melhorar a produção. É claro que, desde as inspeções de rotina que eram usadas no passado até os modernos sistemas auxiliados por computador, muito também evoluiu em termos de como as máquinas e instalações eram monitoradas.

Portanto, no momento, podemos dizer que o manutenção industrial busca basicamente:

  • Evite possíveis avarias ou reduzir o número deles. Resumindo, melhore a produção, pois o tempo de inatividade será menor.
  • Garantir o bom estado do equipamento. Isso tem um impacto direto na qualidade e no investimento, pois as máquinas durarão mais.

Uma vez sabido disso, deve-se ter em mente que nos processos de manutenção industrial há uma série de condições que são usados ​​com frequência e que é muito importante que você os conheça. Eles são usados ​​em todos os tipos de indústrias, de fábricas a data centers, e são:

  • manutenção: processos de revisão, ajuste, limpeza e substituição para manter o bom estado da máquina e das instalações. Tanto a manutenção quanto o reparo exigem pessoal qualificado e tempo de treinamento para aprender o que você precisa saber.
  • reparação: procedimento que ocorre quando um elemento ou sistema deixa de funcionar ou o faz de forma defeituosa. Pode ser devido à má manutenção, uso indevido ou apenas desgaste normal ao longo do tempo.
  • Diagnóstico: é o tempo necessário para um técnico determinar qual foi a falha de um sistema ou instalação. Este tempo não está incluído no tempo de reparo.
  • produção: é o tempo durante o qual a indústria está gerando sua atividade normalmente.
  • Falha ou avaria: quando algo acontece na máquina ou nas instalações que o impede de funcionar ou funcionar corretamente. Deve ser diferenciado de um defeito, que pode causar anomalias, mas não o impede de funcionar.
  • Confiabilidade, disponibilidade, manutenção e vida útilEstas são estimativas de tempo amplamente utilizadas na indústria para determinar a confiabilidade de uma máquina ou sistema, o tempo que pode permanecer funcionando corretamente antes de uma falha e o tempo que o equipamento irá durar antes de atingir o final de sua vida útil e ter que ser substituído por um novo. Os lucros e investimentos de uma indústria dependerão disso. Para medi-lo, existem três termos muito importantes:
    • MTTF (Mean Time To Failure): é o tempo médio de falha. É um tempo médio que um computador ou sistema é capaz de funcionar sem interrupções.
    • MTBF (Mean Time Between Failure): é o tempo médio entre falhas. Mede o tempo médio entre uma falha e a próxima.
    • MTTR (Tempo Médio de Reparo): é o tempo médio de reparo. É o tempo médio necessário para reparar o sistema em caso de falha, pois mede a manutenibilidade. MTBF e MTTF são os dois termos usados ​​para medir a confiabilidade do equipamento.
  • Segurança: na indústria é tudo o que inclui as medidas necessárias para proteger o equipamento e o pessoal contra acidentes.

Boa manutenção requer protocolos de ação em caso de avaria, pessoal qualificado para efectuar a reparação e manutenção sem causar outros danos e de forma segura. Tudo é para alta disponibilidade.

Tipos de manutenção industrial

Para garantir alta disponibilidade em seus sistemas e instalações, pode haver vários tipos de manutenção industrial que você deve saber distinguir:

Manutenção corretiva:

Também às vezes chamado de bombeiro, por ser aquele que é executado quando o problema ocorre. o manutenção corretiva é aquele que carrega mais urgência e estresse. Quando algo interrompe a produção ou a atividade que estamos realizando e deve ser resolvido o mais rápido possível.

Manutenção preditiva:

El Manutenção preditiva É o mais sofisticado de todos, pois requer estudos um pouco mais complexos. Consiste em afinar quando uma peça vai quebrar para evitá-lo, mas sem alterá-lo antes do tempo.

Mantimento preventivo:

El mantimento preventivo É aquele que é realizado com o objetivo de prevenir falhas e manter o bom estado do equipamento.

Além dos modelos anteriores, existem também outros mais completos, como o modelo condicional. Nele, além das atividades de manutenção, também são incluídos testes e experimentações que servem para manter um bom feedback e atuar melhor no futuro. Ou seja, tente descobrir por que ocorreu a falha e como você pode agir da melhor maneira.

Existe também outro modelo chamado sistemático, que é executado não apenas quando ocorre uma falha como no condicional, mas em qualquer caso para tirar outras conclusões e manter um melhor planejamento de manutenção.

Plano de manutenção

Tudo o que foi dito acima não teria muita utilidade se você não tivesse um roteiro a seguir, ou seja, um plano de ação ou protocolo bem definido. Tanto para prevenir como para agir em caso de falha.

Se a manutenção deve ser realizada para evitar falhas, é melhor determinar quando as tarefas necessárias devem ser iniciadas para ter o menor impacto possível no funcionamento normal da indústria. Por exemplo, você pode usar tempos mortos em que o equipamento não é usado, ou em horários em que a carga é menor.

O estabelecimento de bons modelos para manutenção industrial, programação e controle de tarefas será vital. Entre as vantagens você tem é:

  • Não afete muito a produtividade. Ou seja, a eficiência e a eficácia são aumentadas.
  • Reduza o tempo e o investimento econômico aplicados.
  • Ação mais rápida em caso de falha.
  • Melhore o ambiente de trabalho não estressando o pessoal de manutenção e não frustrando os operadores devido a falhas constantes.

Para que isso seja possível, você deve manutenção do plano. Isso acontece sabendo muito bem o que vai ser feito, como vai ser feito, os recursos necessários e a duração estimada. Ao determinar esses fatores e criar um bom cronograma, tudo correrá bem no setor.

Hoje, existem incontáveis ferramentas de software (CMMS) que pode ajudar os operadores e técnicos a monitorar o status das instalações e máquinas, mas também ajudar com horários e horários estabelecidos.